Blog

Acompanhe a Lands Agência Web

9 de fevereiro de 2018

Principais antecedentes da persuasão

A persuasão e a psicologia estão intimamente ligadas, já que a tarefa de convencer alguém envolve conhecer como funciona a mente humana e se adaptar a ela dependendo da situação.
Sendo mais específico, confira motivos pelos quais a persuasão se mostra vital para uma negociação bem-sucedida.

• Mostrar o valor da oferta

 

Não importa o quão relevante seja sua oferta, de nada via adiantar se esse valor ficar bem claro para os potencias compradores.
Quando a proposta de valor não é bem-feita, a tendência é que a pessoa continue buscando outras soluções até ter certeza que encontrou o que procura.
Táticas de convencimento bem aplicadas podem ajudar, como um conteúdo de qualidade e a indicação de amigos e conhecidos

• Destacar-se da concorrência

 

Em um ambiente competidor, destacar-se em meio a tantas opções equivalentes é indispensável.
Mesmo que algum competidor leve certa vantagem, ela pode ser diminuída pelo bom uso da persuasão.
A ideia é mostrar que é possível se tornar referência no mercado não por contar com preços baixos ou produtos melhores, mas por ser eficaz na arte de convencer pessoas.

Reverter situações complicadas

Por mais que o trabalho executado tenha qualidade, algumas coisas acabam fugindo do nosso controle.
Isso acaba fazendo com que situações delicadas surjam, e quando acontecer, você precisará usar seu poder de persuasão
Principalmente quando esse problema envolver um cliente insatisfeito, ser persuasivo ajuda a não escalar a situação e, em certos casos, pode ajudar a ganhar a confiança da pessoa novamente.

Como aplicar

• Através da reciprocidade, as pessoas gostam de retribuir favores e gentilezas. Então, quando se faz o bem, é provável que a pessoas se sinta motivada a devolver o favor.

Prova social, ela satisfaz uma necessidade básica do ser humano: saber que não estamos sozinhos. Ou nunca reparou que as pessoas procuram escolher o mesmo caminho que a maioria. Por isso é comum encontrar empresas que divulgam exaustivamente quantos dos seus produtos já foram vendidos. Isso gera confiança ao cliente.

• Já parou para pensar que pessoas que gostamos nos persuadem com facilidade. Essa é a tônica do princípio da afeição. Você simplesmente pode ter carisma ou se utilizar, por exemplo de técnicas, como o espelhamento. O foco é encontrar pontos em comum e explora-lo, assim é possível ganhar a confiança do cliente.

• Quem tem autoridade assume naturalmente o papel de influenciados e tem grande impacto sobre as ações e decisões dos outros, seja de forma consciente ou não. O conhecimento em determinada área, a postura e maneira de se comunicar e tratar o cliente podem reforçar a autoridade que ele vê em você.

• Por último, mas não menos importante, agir de forma coerente. É possível notar que se fazemos um pequeno favor para alguém, ficamos propensos a realizar um favor maiores depois. A parti disso, peça gradualmente pequenos favores ao cliente, e faça como que ele assume um compromisso. Por fim ele vai se manter coerente.